Santificação e Santidade

 

Santificar: Tornar santo; separar como sagrado; consagrar; 2. Purificar-se ou libertar-se do pecado: santificar o coração.

 

Santidade: 1. Piedade. 2. Caráter santo ou consagrado; 3. Coisa sagrada  4. Estado ou caráter de quem ou do que é santo; qualidade do que é sagrado. 

 

 

 

“Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção.” 1 Coríntios 1:30.

 

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição.”   1 Tessalonicenses 4:3.

 

“ ‘Esta é a vontade de Deus’, escreve o apóstolo Paulo, ‘a vossa santificação.’ (I Tess. 4:3). Em todo o Seu trato com o Seu povo, o objetivo de Deus é a santificação da igreja. Ele os escolheu desde a eternidade, para que fossem santos. Deu-lhes Seu Filho para morrer por eles, a fim de que pudessem ser santificados pela obediência à verdade, despidos de toda a mesquinhez do eu. Deles requer trabalho pessoal e pessoal entrega. Deus só pode ser honrado pelos que professam crer nEle, quando são conformes à Sua imagem e controlados por Seu Espírito. Então, como testemunhas do Salvador podem tornar conhecido o que a graça divina fez por eles.” AA 559.3

 

“A verdadeira santificação vem por meio da operação do princípio do amor. "Deus é caridade; e quem está em caridade está em Deus, e Deus nele." I João 4:16. A vida daquele em cujo coração Cristo habita, revelará a piedade prática. O caráter será purificado, elevado, enobrecido e glorificado. A doutrina pura estará entretecida com as obras de justiça; os preceitos celestiais misturar-se-ão com as práticas santas.” AA 560.1.

 

“Os que desejam alcançar a bênção da santificação têm de primeiro aprender o que seja a abnegação. A cruz de Cristo é a coluna central sobre que repousa o "peso eterno de glória mui excelente". II Cor. 4:17. "Se alguém quiser vir após Mim", disse Jesus, "renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-Me." Mat. 16:24. É o perfume de nosso amor aos semelhantes o que revela nosso amor a Deus. É a paciência no serviço, o que traz repouso à alma. É pelo humilde, diligente e fiel labor que se promove o bem-estar de Israel. Deus sustém e fortalece aquele que está disposto a seguir o caminho de Cristo.” AA 560.2.

 

“A santificação não é obra de um momento, de uma hora, de um dia, mas dá vida toda. Não se alcança com um feliz voo dos sentimentos, mas é o resultado de morrer constantemente para o pecado, e viver constantemente para Cristo. Não se podem corrigir os erros nem apresentar reforma de caráter por meio de esforços débeis e intermitentes. Só podemos vencer mediante longos e perseverantes esforços, severa disciplina e rigoroso conflito. Não sabemos quão terrível será nossa luta no dia seguinte. Enquanto reinar Satanás, teremos de subjugar o próprio eu e vencer os pecados que nos assaltam; enquanto durar a vida não haverá ocasião de repouso, nenhum ponto a que possamos atingir e dizer: "Alcancei tudo completamente." A santificação é o resultado de uma obediência que dura a vida toda.” AA 560, 561.

 

“Nenhum dos apóstolos e profetas declarou jamais estar sem pecado. Homens que viveram o mais próximo de Deus, que sacrificariam a vida de preferência a cometer conscientemente um ato mau, homens a quem Deus honrou com divina luz e poder, confessaram a pecaminosidade de sua natureza. Eles não puseram a sua confiança na carne, nem alegaram possuir justiça própria, mas confiaram inteiramente na justiça de Cristo.” AA 561.1

 

 

Assim será com todos que contemplam a Cristo. Quanto mais nos aproximarmos de Jesus, e quanto mais claramente distinguirmos a pureza de Seu caráter, tanto mais claro veremos a excessiva malignidade do pecado, e tanto menos nutriremos o desejo de nos exaltar a nós mesmos. Haverá um contínuo anelo da alma em direção a Deus, uma contínua, sincera, contrita confissão de pecado e humilhação do coração perante Ele. A cada passo para frente em nossa experiência cristã, nosso arrependimento se aprofundará. Saberemos que nossa suficiência está em Cristo unicamente, e faremos nossa própria a confissão do apóstolo: ‘Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum.’ (Rom. 7:18). ‘Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo.’ (Gál. 6:14).” AA 561.2.

 

“Que os anjos relatores escrevam a história das santas lutas e pelejas do povo de Deus; que anotem as orações .e lágrimas; mas não permitamos que Deus seja desonrado pela declaração de lábios humanos: ‘Estou sem pecado; sou santo.’ Lábios santificados nunca pronunciarão palavras de tanta presunção.” AA 561, 562.

 

“Segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas.” 1 Pedro 1:2. 

 

“Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna.” Romanos 6:22.

 

“Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.” 2 Coríntios 7:1.

 

“Porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.” 1 Tessalonicenses 4:7.

 

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” Hebreus 12:14.

 

“O pecador não pode depender de suas próprias boas obras como meio de justificação. Ele deve chegar ao ponto de renunciar a todos os seus pecados, e receber um grau de luz após o outro, na medida em que esta brilha em seu caminho. Ele simplesmente se apega pela fé à livre e ampla provisão feita pelo sangue de Cristo. Crê nas promessas de Deus, que, através de Cristo, se lhe tornam santificação, justiça e redenção. E se ele segue a Jesus, andará humildemente na luz, regozijando-se na luz e difundindo-a para outros. Sendo justificado pela fé, regozija-se, em todos os momentos de sua vida, na obediência. Paz com Deus é o resultado do que Cristo representa para ele. As almas que se submetem a Deus, que O honram e são praticantes de Sua palavra, receberão divina iluminação. Na preciosa palavra de Deus há pureza e dignidade tanto quanto beleza, que as mais elevadas faculdades do homem não poderão penetrar a menos que sejam assistidas por Deus.”  6BC 1071.10.” (ST 19 de maio de 1898).

 

“Santificação significa comunhão habitual com Deus.” RH,  15 de março 1906.

 

“Nosso Senhor crucificado está pleiteando por nós na presença do Pai no trono da graça. Por meio de Seu sacrifício expiatório podemos rogar por nosso perdão, nossa justificação e nossa santificação. O Cordeiro morto é nossa única esperança. Nossa fé o contempla e se apega a Ele como o único que pode salvar completamente, e a fragrância de Sua todo-suficiente oferta é aceita pelo Pai. A Cristo foi entregue todo poder no céu e na terra, e todas as coisas são possíveis ao que crê. A glória de Cristo é dedicar-se ao nosso sucesso. Ele tem um interesse em comum com toda humanidade. Ele é nosso simpatizante Salvador.”  (Letter 33, 1895).”  7BC 948.3.

 

“Não tenho uma mensagem suave a dar aos que por tanto tempo têm sido como que falsos sinaleiros, apontando na direção errada. Se rejeitardes os mensageiros delegados por Cristo, rejeitais a Cristo. Negligenciai essa grande salvação conservada diante de vós durante anos, desprezai essa gloriosa oferta de justificação pelo sangue de Cristo, e a santificação pelo poder purificador do Espírito Santo, e não restará mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo e ardente indignação. Suplico-vos, agora, que vos humilheis e deixeis a vossa obstinada resistência à luz e à evidência. Dizei ao Senhor: "Minhas iniquidades têm feito separação entre mim e o meu Deus. Ó, Senhor, perdoa as minhas transgressões. Apaga os meus pecados do livro das Tuas memórias." Louvai o Seu santo nome, nEle há perdão, e podeis ser convertidos, transformados.” TM 97, 98.

 

“Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!”  Hebreus 9: 13, 14.

 

“Quando os homens e as mulheres recebem o batismo do Espírito Santo, eles confessam seus pecados e ser-lhes-á concedido o perdão, que quer dizer justificação. Não se deve confiar na sabedoria dos instrumentos humanos que não são penitentes e humildes, pois são cegos no tocante ao significado da justiça e santificação pela verdade. Quando os homens se despojam da justiça-própria, discernem sua pobreza espiritual. Atingem então aquele estado de bondade fraternal que demonstra estarem em afinidade com Cristo. São capazes de apreciar o sublime e elevado caráter da obra das missões cristãs.” TDG 326.1.

 

“ ‘Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.’ (Rom. 5:1). Justificação significa perdão. Quer dizer que o coração, purificado de obras mortas, está preparado para receber a bênção da santificação. Deus nos disse o que precisamos fazer para receber esta bênção. ‘Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade. Fazei tudo sem murmurações nem contendas; para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.’ (Filip. 2:12-15).” YRP 96.3.

 

“‘Se alguém pecar, temos um advogado diante do Pai, Jesus Cristo, justo.’ Quão cuidadoso é o Senhor Jesus em não dar qualquer ocasião para que a alma se desanime. Como protege Ele a alma dos ataques ferozes de Satanás! Se, através das diversas tentações nós somos surpreendidos ou enganados pelo pecado, Ele não virará as costas para nós, deixando-nos a perecer. Não, não, nosso Salvador não é assim. Cristo roga por nós. Ele foi tentado em todos os pontos, exatamente como nós somos; e, tendo sido tentado, ele sabe socorrer aos que são tentados. Nosso Senhor crucificado está pleiteando por nós na presença do Pai no trono da graça. Por meio de Seu sacrifício expiatório podemos rogar por nosso perdão, nossa justificação e nossa santificação. O Cordeiro morto é nossa única esperança. Nossa fé o contempla e se apega a Ele como o único que pode salvar completamente, e a fragrância de Sua todo-suficente oferta é aceita pelo Pai. A Cristo foi entregue todo poder no céu e na terra, e todas as coisas são possíveis ao que crê. A glória de Cristo é dedicar-se ao nosso sucesso. Ele tem um interesse em comum com toda humanidade. Ele é nosso simpatizante Salvador.”  ” RH, 1 de setembro 1891.

 

“Deus fez toda provisão para nossa justificação e santificação. Ele deu Cristo a nós, e por meio dEle podemos ser completos. Cristo deu Sua vida pelos pecadores. Por Sua morte, Ele proveu uma fonte na qual todos podem lavar Suas vestes do caráter, tornando-se limpos. Ele morreu sobre a cruz, mas ressuscitou da tumba, proclamando: ‘Eu sou a ressurreição e a vida.’ Ele tornou Seus seguidores herdeiros juntamente com Ele em Sua glória. Em Seu nome eles devem ir e cumprir Seu desígnio de trazer muitas almas ao conhecimento da verdade.” RH, 18 de fevereiro de 1904.

 

Pastor Davi Paes Silva.

 

Presidente da Conferência Geral dos Adventistas do 7º Dia Movimento de Reforma.

Você é o nosso visitante número: 1956

© Salvos pela Graça 2011. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento e hospedagem: Top 7 Tecnologia